terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Sem nada, espero...

Abra-se a porta
e dela
a vida, renascida.


Viesse e chegasse
como um susto relâmpago.

Venha! Deste nada, vazio;

a vida,
o momento.

Quando for, que a porta se abra
estarei esperando.
Grávida!


Cuidarei com a própria vida.

Espero do nada
o momento...

Da porta
abrir...


Abdul-Hamid

Sem comentários: