segunda-feira, 3 de março de 2008

Ausência

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais profunda que a tua.


Sophia de Mello Breyner Andresen, Mar Novo (1958)

Sem comentários: