domingo, 27 de abril de 2008

Maldita Cocaína



Tanto que se poderia dizer sobre a maldita Cocaína, tão cara que fica ao chegar ao consumidor.
Falando da pouquíssima experiência, sempre posso adiantar que é uma viagem magnífica e isso tem de ser dito para que a informação seja correcta, deveríamos desconfiar da informação que nos chega afirmando peremptoriamente que a droga é um monstro que mata e mata rápido no caso de algumas delas. E nunca, ou raramente se ouve dizer que há drogas extremamente perigosas que matam depressa mas que proporcionam viagens esplendorosas e isso deve ser dito para não cairmos na asneira de enganarmos os iniciantes.
Há drogas que agarram (viciam) mais depressa que a Cocaína, embora ela seja considerada uma droga dura, portanto de viciação rápida, uma dependência poderosa.
Pode ainda ser tomada de duas maneiras distintas, snifando, inalando pelas narinas, ou de forma injectável para a veia, neste caso a viagem começa com o chamado flash, ou seja, é brusca a chegada do produto ao cérebro e provoca uma tal sensação que o verdadeiro "junkie" viajante não dispensa, muito sinceramente não conheço, mas avaliando pelos testemunhos imensos, nem duvido.

Defensor da liberalização das drogas todas e da livre comercialização das chamadas drogas leves; café, tabaco, cannabis, álcool, embora proibindo a sua publicidade, intransigentemente! O que esta sociedade faz em relação ao álcool é um autêntico assassínio popular, não informando da dureza dessa droga que tanto flagelo provoca a todos nós, colectivo. Temos mais de um milhão de alcoólicos, mas a sofrer com a doença, seremos muitos mais. A violência doméstica, normalmente provocada pelo macho, vamos dizer assim, na maioria dos casos esconde um alcoólico. As mulheres cada vez bebem mais álcool e começam cada vez mais cedo, por falar em mais cedo, é verdadeiramente chocante a idade com que as pessoas começam a beber, para não falar das célebres sopas de "cavalo cansado" salazarentas, lembram-se? Não ouviram falar? o pão com o vinho dado às crianças como alimento que fortalece e aquece, e era cultural em diversas zonas deste belo país tão atrasado que era e tão atrasado que continua. A moda juvenil dos shots é uma vergonha para todos, só quem ainda não presenciou a forma rápida e forte como as pessoas se embebedam de cair para o lado e chão num quarto de hora, uma autêntica miséria! Vergonha!

Não quero entrar em detalhes técnicos que desconheço na plenitude, mas quero lembrar que o vinho a fermentar não é um espectáculo agradável, se dissessem às pessoas que aquilo era o vinho, a maioria não acreditava, só para dizer que por vezes a matéria passa por estados intermédios que nada têm a ver com o produto final, nada!

Por um mundo sem drogas, naturalmente, numa sociedade sã como todos pretendemos, mas como temos de partir de onde nos encontramos, precisamos de informar as pessoas correctamente e tratar os doentes que precisem de ser tratados.

Quanto às liberalização das drogas, era para isso precisamente, um controle de qualidade sério, evitando acidentes desnecessários, que podem ser mortais e para acabarmos com os "dealers", os parasitas que vivem à custa de quem vai consumindo, de quem vai morrendo.

Venerando-os

2 comentários:

Sandra Correia disse...

Concordo em absoluto com a questão do álcool, e acrescento mais: neste nosso cantinho à beira mar, mas muito atrasado ainda, chegaram a dizer-me enquanto amamentava, para beber vinho, que melhorava o leite! Fiquei em choque, pois é sabido que as substâncias (incluindo o álcool) passam através do leite para a criança! Estavam a mandar-me "embriagar" a minha bebé! Tanta ignorância ainda! Não me faço de puritana, pois gosto de beber um copo de um bom vinho, numa ocasião especial, acompanhando uma boa comida! Mas o que me faz muita confusão é ver pessoas que bebem com o ridículo propósito de se embebedar! Quanto mais rápido melhor, até cair! Vergonhoso! Urge que haja uma consciencialização de que o álcool é uma droga e muito perigosa! Mascarada de hábito social! Impreterivelmente, passemos esta mensagem aos nossos filhos, familiares, amigos, vizinhos, para que não venham a sofrer te tão dolorosa e angustiante doença! Que mata! Que destrói!
Os vinhos feitos industrialmente, são piores ainda, pois são adicionadas substancias químicas que prejudicam gravemente a saúde!
Quanto às restantes drogas, revolta-me que continuemos a alimentar "pançudos" delears, vivendo à custa da miséria da destruição gradual dos doentes! Não se liberaliza porque preferimos não ver! Se for escondido, não nos pesa na consciência! Ignorantes mais uma vez! Além disso, não havendo qualquer controlo sobre o produto, são vendidas verdadeiras armas mortíferas, pela adição de substâncias letais, que fazem aumentar o lucro! Menos droga, mais mistura de outras substâncias, mais lucro, mais mortes! Vergonhoso! Mais não digo, teria assunto para muitas páginas, porque lamentavelmente, esta duríssima realidade, roubou-me um irmão com apenas 21 anos! Na força da vida! Quantos mais precisam morrer para que desenterremos a cabeça da areia?

Vénias António
Parabéns pelo texto

antoniomaia disse...

obrigado pelo comentário, amiga.
pelas tuas palavras pensas sobre o assunto o mesmo que eu...
vamos lá informando as pessoas próximas, aquelas onde podemos chegar.

Vénias Sandra

Obrigado pelo comentário