domingo, 22 de novembro de 2009

Meu Cacho de Beijos






Minhas penas soltas, dores deixadas pelo ar
Abro a janela da Vida e incito-as a voar.
E vens tu e o rubro da tua boca
Abraçando a minha, entreaberta e louca.
Anda até mim e mergulha neste céu
Que o Paraíso começa assim,
com o teu corpo no meu.

Alma

2 comentários:

Anónimo disse...

Belíssimo poema...
Abraço
JM

Anónimo disse...

Impressionante poema! Penso que ja senti "o paraiso"...Este poema fez-me reviver...Lindo. Parabéns