quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

palpito...

Pêndulo.

Acerto.

Oscilo.

Ritmo.

Dança.

Respiração.

Música nos ouvidos.

Roçar que me esfrega.

Frenesim que me sustem e me derruba.

Corpos em dó maior de um desejo por de mais contido.

E curvo-me na cedência de quem pede, rasga, vertical, horizontal.

Algemo-me, abandono-me, arrasta-me, trepa, chega e puxa-me. Sem som.

Regresso, deslizo, deslizas, pressionas, abraças, convences-me.

Acompanho-te, deito-me, enlaço-me, amo, amo mais, beijo.

Sussuro, peço, vens, carícias, tortura, enlaço-me, beijo.

E amo, amo mais, amo sempre. Entregas-te.

                        Amo-te, Eu.     Alma

3 comentários:

Sandra Correia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandra Correia disse...

Fabuloso! Adorei!
Excelente jogo de palavras, de cortar a respiração...

O grafismo completa o quadro de uma forma surpreendente!... Muito bom!

Parabéns à Alma!

Anónimo disse...

Diferente de tudo o que tens escrito até hoje. Escrita muito criativa em que as palavras se cruzam como roda da vida.
Abraço
JM