sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

como um texto, exposto aos teus olhos


é assim que sou, é assim que me sinto.

revelação em mim concluída por este sentimento inesperado, desejado na irrealidade do sonho.

palavras são como beijos que se atiram, poisam onde calha, onde querem que eles fiquem, molhando, apertando, sussurrando num entre-dentes, ou numa carícia de pele de lábios, frágil como nenhuma outra.

e sim, são assim as palavras, as minhas. tocam, permanecem, partem ou penetram. como desejos. estes, deste altar, ficam sempre, glorificando a quem elas se destinam.

e, com elas, as minhas mãos, o meu olhar, o meu tempo. tudo reunido num único desejo, numa única forma, num único corpo.

o mesmo corpo que se modelou a um sentimento secreto, misterioso e inexplicável. o seu corpo, o seu modelo.

e tudo sem explicação.

Alma

2 comentários:

Sandra disse...

as palavras penetram sem dúvida :) Sobretudo as palavras lindas como estas da Alma!

Mais uma vez parabéns!Lindo :)

antoniomaia disse...

obrigado pelo comentário...