segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

(des)medida de ti, amor...

 
envolve-me na tua memória e transporta-me contigo.

tenho em mim a recordação do teu rosto, do teu sorriso, da tua cortesia...

e Deus sabe como isso é tão pouco, de tão grande ser a falta de ti e a saudade...

com essa simplicidade de ser único, escreveste em mim o resto dos meus dias, o sonho que acalento, a certeza de que nada será como eu acreditava.

deste-me este novo olhar, este sorriso na minha boca, não pedindo nada em troca, apenas Sendo.

momento único da minha vida, sensação ímpar de plenitude, percebi que nada existia antes de Ti.

toque de dedos em fuga, timidez de beijo-rosto em jeito de despedida, gravados em fogo no meu olhar, na minha pele, na memória-certeza de como se tivesse sido sempre assim, Tu e Eu.

Alma

1 comentário:

Luna disse...

"... como isso é tão pouco, da tão grande ser a falta de ti e a saudade..."

Lindo! Uma descrição de um estado de Alma bonito :) Uma escrita envolvente pela intensidade e pela forma sentida :)

Parabéns! Grata pela partilha :)