terça-feira, 4 de janeiro de 2011

enquanto escorres por mim...

escorrendo por mim-dentro,

... purificando-me mesmo em universos que desconheço,

... qual  invasor escolhido de uma alma exposta que se oferece em cada sílaba escrita que não te pronuncia,

... surdo que estás àquela que sou e te encantou,

                                                          Serás, sempre.

e percorres-me assim, dono,  como atravessas os meus caminhos de todos os dias, passante, gélido e temeroso...

e eu solto, pois que Sou, esta onda de calor por ti e tu desvias-te como se já não me conhecesses, como se não quisesses...

e eu permaneço à beira-de mim, apenas completa no bem que me fazes enquanto me escorres.

uma lágrima para ti.

Alma

2 comentários:

Sandra disse...

Belo, belíssimo!

Comovente e intenso, tão intenso que sinto!

Parabéns, adorei!

antoniomaia disse...

também adoro, minha boa amiga
as palavras são mágicas realmente, emocionam.
obrigado pelo comentário