quarta-feira, 16 de março de 2011

sentimento, mar furioso por mim...


é verdade...

os sentimentos, com rosto de texto, brotam de mim com esta força que me imobiliza, me possui, me anula naquela que mais brevemente sou.

às vezes escrevo mentalmente, quando estou longe daqui, outras, tomo uma nota, escolho uma palavra.

o resto sou eu.

e sinto na proporção com que escrevo, e escrevo na dimensão com que sinto.

e sou em ambos os casos. as palavras acariciam-me as entranhas como mãos de ser amado, possuem-me e irrompem. tudo num processo natural como eu própria.

cá fora são este beijo em bocas alheias, este olhar doce em quem me lê, partilha escrita de quem sou, também fisicamente. eu, em desejo, a sem vontade, contenção ou medida. sem freio. animal.

mas meu  é agora o momento em que me distendo e te saboreio, a ti, que abres os caminhos por onde avanço em sentimento.

…imagino o sabor doce do teu beijo, a força suave e quente do teu abraço.

e encontro-me em ti.

eu, desejo-palavra, tu, forma difusa no espaço, à minha espera em cada palavra com que te brindo.                                                Alma

1 comentário:

Luna disse...

as palavras da Alma são mesmo um brinde para quem as lê:)

Muito lindo.

Parabéns