sexta-feira, 29 de abril de 2011

basta-me às vezes...


não, não é preciso sempre...
            basta-me às vezes, basta-me o teu nome, bastas-me tu.
assim, suavemente, escorrendo em palavras
                     e desejo por mim
                                                     como bálsamo,
                                                     como carinho, ternura...
 
e és sempre nas noites redondas que me dedicas,
                       sempre, sem fim.    Alma

3 comentários:

Luna disse...

basta-me ás vezes... e esse ás vezes é tão bom! :)

muito lindo este texto da Alma, como só ela sabe :)

Parabéns :)

Luna disse...

baste-me às vezes...(porque)és sempre... sempre, sem fim .

antoniomaia disse...

"basta-me às vezes sempre sem fim..."

Luna, a Alma escreve maravilhosamente realmente, também estou rendido :)

obrigado pela tua existência, também por aqui...

vénias profundas