segunda-feira, 4 de abril de 2011

És o meu destino...


Aqui, sozinha, revejo a fragrância com que tens atapetado os meus dias. Em palavras, em presença, em eu estou aqui, não te esqueças...

 
E parto ao teu encontro, sem medo, sem hesitações…e tu sempre à espera.

 
À minha espera.                

Sento-me ao teu lado, ombro paralelo ao teu e permaneço em silêncio... Fecho os olhos e meço o direito, o merecimento que poderá haver em mim para te ter encontrado.
 

                                                 Mas a tua voz quebra-me o devaneio, olho os teus olhos e percebo que não há explicações para o Destino.             Alma


2 comentários:

Luna disse...

"Não há explicações para o destino..." A Alma sabe, sente... e escreve muito bem!

é um prazer ler :)

Grata pela partilha.

antoniomaia disse...

Luna, obrigado pelo comentário!

não há realmente explicações para muita coisa...
obrigado pela tua fidelidade
venero-te