quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sensualidade em que me apeteces


Solta-me a vontade de ser seja quem for.

Apenas não quero continuar assim, lívida, sem vida, de olhar errante.

Sonho este ou aquele momento de carinho, nem precisa ser de paixão, sobre o meu rosto... se o teu mundo fosse o meu, partilhado, exclusivo aqui, no momento por nós criado.

...

Estender o meu sentimento, abertos os braços, e deixar que pouses em mim, qual espírito sequioso do Amor que nunca chega e do que nunca se consegue fazer chegar.

No depois, podemos até permanecer assim, estendidos, no também contacto dos corpos que sempre fomos…


Sobra em nós esta linha invisível que mantemos segura pelas palavras e olhares que trocamos.                          Alma

10 comentários:

Luna disse...

Mais um lindo poema da Alma :) adoro!

O titulo é magnífico! E é tão bom quando "apetecemos" a alguém!

Grata à Alma pela emoção :)

Parabéns

Anónimo disse...

«...sobra em nós esta linha invisível que mantemos segura pelas palavras e olhares que trocamos...»

As palavras têm por vezes o condão de serem uma ponte entre dois destinos paralelos.

«... sonho este ou aquele momento de carinho, nem precisa ser de paixão, sobre o meu rosto...»

Um momento de carinho é o que muitas vezes procuramos, necessitamos e desejamos. A paixão pode surgir num depois, ou não... não é absolutamente imprescindível que aconteça.

Mais uma vez parabéns à Alma por tão bela escrita.
JS

Luna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna disse...

JS, não concebo a vida sem paixão! Para mim é imprescindível, mesmo :) Quer seja nas relaçoes humanas, naquilo q fazemos, etc... Mas como a palavra tem um sentido muito abrangente, vários significados, incluindo o da dor e pesar, poderemos não estar a falar da mesma coisa :)

Anónimo disse...

Luna, a paixão é como «fogo de palha», acende-se rapidamente mas também se apaga facilmente. Prefiro um grande amor, verdadeiro,que «arda num fogo» por toda a eternidade.
Mas, atenção, não quer dizer que a paixão não possa estar presente, nesse amor, quando ambos o desejem :)

No resto das coisas, também prefiro fazê-las com amor e sensatez.

Gostei desta troca de impressões... não somos todos iguais, não é? E ainda bem, seria uma sensaboria.

Cumprimenta-a
JLS

Luna disse...

Pois é JLS, ainda bem que há diversidade. Concordo consigo que seria enfadonho sermos todos iguais :)

Pensando bem, provavelmente também preferiria um grande amor, que "ardesse num fogo" para toda a eternidade... mas não acredito possível... e a sê-lo não seria enfadonho também? Era lindo, até poético...
A paixão, ainda que fugaz, é muito saborosa.

Também gostei desta troca de opiniões, grata pela partilha.

Anónimo disse...

Já pensei como a Luna e já tive as minhas experiências apaixonadas e apaixonantes, hoje vejo a vida de modo diferente, talvez pelas circunstâncias, até um pouco trágicas, a que ela me levou.

Vivi muitos anos na Bélgica, onde nasci. Minha mãe era belga e o meu pai português. Posso afiançar-lhe que o amor que eles tiveram, um pelo outro, foi até ao fim das suas vidas, por isso acredito neste amor, embora saiba que não deve ser muito vulgar.

Luna, enquanto lhe der prazer e for feliz, viva as suas paixões intensamente, não desista delas, pois a vida, por vezes, pode ser cruel.

Gostei muito desta troca de impressões consigo.

Já agora, o JLS corresponde a Jacqueline Lallande Sacramento, isto é uma apresentação informal visto ter de me colocar aqui no blogue como anónima.

antoniomaia disse...

Jacqueline, nome tão lindo, quando era puto apaixonei-me por uma figura do cinema francês que se chama Jacqueline, a Bisset ahahahah era um fraquinho meu quando era novinho :)
peço um ponto de ordem na conversa interessante que as meninas têm estado a ter e que acho muito interessante.
tenho falado com Alma sobre o que ela vai escrevendo, algumas vezes, mais ao princípio, tentava ser racional e lógico na análise dos textos (muitas vezes não concordava como ela encarava a liberdade e tal) ela sorria e troçava de mim... pedia-me se tinha sentido emoção, sua maior preocupação :)
não sei se ajudei nalguma coisa para conversa, foi só um ponto de ordem.
merci Jacqueline, pour votre visite, ma cher :)
peço desculpa mas apeteceu-me francezar :)
obrigado às duas pela vossa fidelidade :)
bisous :)

Anónimo disse...

Mon cher, merci du fond du coeur pour votre commentaire :)
Au plaisir de lire Alma.
Um bisou affectueux
Jacqueline