sexta-feira, 27 de maio de 2011

Tango... ou corpo a corpo


... é como um acto de amor. em palco, na pista, público.

jogo de sedução, de apenas vencedores, no domínio a seu tempo, do corpo do outro, do seu olhar, do e pelo próprio ritmo...

por entre gestos de entrega sugerida e de posse determinada, os olhares sustêm-se, felinos, na vontade unilateral de possuir o outro, pelo olhar, pelo cingir de cintura, de força imposta na prisão do braço que parte a vontade de um…

mas porque a sedução é arma mortal nos fracos, eis que o olhar e o passar pelo corpo do outro é enfraquecimento, subjugação,  pelo desejo que imprimem no contacto ritmado e inocente a que a dança obriga.

e recomeça o jogo de sedução e de aniquilação de vontades. de um, de outro? quem sabe, o que interessa?

como no amor... o que conta é o usufruto do momento, o conseguir-se tudo nos momentos que temos como nossos, certos, nos braços de alguém.                                                                       Alma

2 comentários:

Luna disse...

é mesmo isso, " o que conta é o usufruto do momento, o conseguir-se tudo nos momentos que temos como nossos, certos, nos braços de alguém."

Muito lindo! Adorei :)

Parabéns à Alma!

Anónimo disse...

Não concordo muito com a sua última frase, não é no amor que o que conta é o usufruto do momento, isso é o que acontece na paixão e o tango é a dança da paixão, da entrega dos corpos na voluptuosidade da música que arrebata.

Belo texto e linda a imagem.
Parabéns à Alma.
JLS