sexta-feira, 3 de junho de 2011

em graça


Nos teus braços deposito desejo
Flamejante, anseio as tuas mãos, estremeço… antecipo toque que me sabe de cor
Flui um misto de vontade, ternura e ardor
Saboreio o olhar, sorriso e aroma, gestos em que te ofereces
Alongo o momento, contenho-me…

Cola os teus lábios em mim e serei beijo,
Musicalmente, adivinhas quanto te preciso
Não peço, dás-te. Susténs-me em arrepio.

Despojados de tudo o mais, somos alma sem corpo.
Livres, em sublimação de prazer e loucura, combinação de sabores e confusão de sentidos.
E aquele beijo que não acaba… permanecemos…
Assim, na graça do encontro.


Vanda Romeu

1 comentário:

antoniomaia disse...

obrigado por este maravilhoso post.