domingo, 3 de julho de 2011

Tu...


Tu…

projecto o meu cabelo sobre o teu rosto,

                                   faço-o deslizante e acariciador pelo teu peito,

sendo eu, ao longo de ti, quem te percorre.

suavidade em côncavo, no convexo...

e sou beijo na curva,

                     no contorno,

                                     ao extremo.

sem vontade, arranco-me de ti.

 

permaneço lateralmente,  na horizontalidade, paralela a ti,

                          com olhares de apelo, de "vem!" que tu lês.

             e fico, sou, presa sob ti, nos encaixes em que me conheço,

beijos perdidos por mim fora,

             

                              garganta que seca,

                  lábios cortados pela fúria de um grito calado,

tensa, estendida, mais do que no meu tamanho…

estou agora crucificada pelas tuas mãos,

                                                                     em corpo Total e imóvel.

                                    

                                     e rendida, despojada, sou Desejo sem Alma.

                          

                                                                     Eu.    Alma

3 comentários:

Luna disse...

Tão lindo!Muito bom! Adoro :)

Prabéns à Alma

antoniomaia disse...

também gosto muito. obrigado pelo comentário, Luna.
A Alma é-te agradecida, como calculas :)
obrigado

Anónimo disse...

sensual e belo como so a alma sabe.
Jacqueline

(estou de visita a minha terra natal)