sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Deixa que as minhas palavras...


Deixa que as minhas palavras te vistam de Amor e de Ternura.

Deixadas aqui com o teu nome escrito, elas esperam-te, noite fora, quando aqui chegas com subtilezas de ladrão visitando propriedade sua.

E levas-me contigo, durante o meu sono, nessas palavras criadas para ti em forma de beijo, seladas em desejo, resguardadas, junto ao coração.

Elas serão tuas companheiras na solidão das tuas noites. Leva-as aos lábios, ouve-as pronunciadas num sussurro do coração pela minha boca e beija-as como se elas fossem eu.

Contigo, sorrindo, dormirão no aconchego da tua almofada, contra o teu rosto, no gesto de amor que não poderei ser.

Alma

4 comentários:

Anónimo disse...

Belo!

Anónimo disse...

não diria melhor.

:)

antoniomaia disse...

Anónimos, obrigado pela visita!
este espaço é vosso também.

venerando-vos

Luna disse...

Fascinante o poder das palavras!

"...beija-as como se fossem eu."

Quanto mais leio mais gosto! A Alma escreve muito bem!

estas palavras, de facto, vestiram-me de amor e ternura... pela vida, pelo outro... despertam, emocionam!

Obrigada à Alma por proporcionar leituras tão belas.